Vídeos

Loading...

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Cleimar e Alfredo Sampaio falam sobre o Bangu no Estadual

"Ambos foram treinadores do Gigante da Zona Oeste durante a competição estadual"

Cleimar Rocha e Alfredo Sampaio (Foto: Arte FutRio) 
Cleimar Rocha e Alfredo Sampaio (Foto: Arte FutRio)
 
Neste Campeonato Carioca, o Bangu foi dois times completamente distintos. Na Taça Guanabara, o Alvirrubro fez 14 pontos, terminou em terceiro lugar no Grupo B e, por pouco, não chegou à semifinal. Entretanto, na Taça Rio, o Gigante da Zona Oeste deixou a desejar e conseguiu apenas três pontos, sendo na lanterna da chave.
Durante a competição, o Bangu foi treinado por Cleimar Rocha, que dirigiu a equipe por dez jogos, e por Alfredo Sampaio, que comandou o Alvirrubro nas quatro rodadas finais da Taça Rio. Os dois técnicos falaram com exclusividade ao FutRio.Net e analisaram a campanha do clube na competição, seus desempenhos pessoais e o que faltou para o time alcançar uma classificação melhor no Estadual.

FutRio: O desempenho do Bangu enquanto você esteve no comando da equipe foi o esperado?  
Cleimar Rocha: Pelos resultados do primeiro turno, foi criada uma expectativa muito grande para o segundo. Neste caso, ficamos abaixo do que esperávamos. Queríamos ir às semifinais, mas vacilamos contra Nova Iguaçu e Quissamã. Mas, se lembrarmos o planejamento inicial, queríamos uma campanha melhor do que a do ano passado: o objetivo foi atingido. A única coisa que não conseguimos foi chegar à semifinal, algo que havíamos planejado. Acho que atingimos os planejamentos da pré-temporada.
Alfredo Sampaio: Após a saída do Cleimar (Rocha), o presidente Jorge Varela me chamou. No Rio, nunca posso negar convites de dois clubes: Bangu e Madureira. Fui na intenção de ajudar e tínhamos os objetivos de melhorar a campanha na Taça Rio (faltavam quatro jogos) e inverter o placar de 2 a 1 na Copa do Brasil, contra o Betim (MG). Pelo curto tempo, acabamos não conseguindo. A equipe foi bem no primeiro turno, mas no acabou tendo uma queda e isso mexeu com a auto-estima do grupo.

FutRio: Como você acha que se saiu profissionalmente do Campeonato Carioca? Cleimar Rocha: Falando em termos pessoais, acho que fiz um bom trabalho, posso receber novas propostas, mas aqui no Rio de Janeiro será muito difícil conseguir algo, pois só tem a Copa Rio, com exceção de alguns clubes que disputam a Série C e D do Campeonato Brasileiro e os investimentos são pequenos.  
Alfredo Sampaio: Profissionalmente esse campeonato pra mim é para ser esquecido. Joguei dez jogos, seis pelo Volta Redonda e quatro pelo Bangu e meu retrospecto foi uma vitória, quatro empates e cinco derrotas. Isso foi muito ruim e nunca tive um índice técnico tão baixo. Sempre fiz boas campanhas, cheguei a semifinais e finais de turnos e por isso foi ruim. Entretanto, serviu para que eu ascenda um alerta e avaliar o porquê isso aconteceu. Preciso fazer uma reavaliação do meu trabalho.

FutRio: A equipe conseguiu o objetivo traçado antes da competição? Se não, o que faltou?  
Cleimar Rocha: Os objetivos que traçamos com a diretoria, no início dos trabalhos, foram cumpridos. De certa forma, isso demonstra o bom resultado que alcançamos. Entretanto, tivemos muitas dificuldades na intertemporada, na passagem de um turno para outro, em manter a motivação do grupo para iniciarmos a Taça Rio da mesma maneira que começamos o Estadual. No segundo turno, foi difícil manter o mesmo rendimento do primeiro, pois as equipes que foram mal no turno se reforçam para o returno e buscam melhorar até para fugirem do rebaixamento. Já no nosso caso, aconteceu o contrário.  
Alfredo Sampaio: Acho que o pouco tempo que tivemos para trabalhar nos atrapalhou. Infelizmente, só tive uma semana livre para treinar e, nos outros jogos, atuamos quarta-feira e domingo

FutRio: Você mudaria algo que fez enquanto esteve à frente do Bangu?  
Cleimar Rocha: Não mudaria muita coisa, talvez uma atitude ou outra. Mas sempre buscamos valorizar todos os jogadores com o pensamento de levar a equipe à semifinal, mas os resultados do primeiro turno podem ter criado uma expectativa acima do esperado e isso pode ter atrapalhado. Entretanto, todas as atitudes tomadas foram baseadas nos resultados da equipe na Taça Guanabara.

FutRio: Você se arrepende de ter assumido o Bangu na situação que o clube se encontrava dentro de campo?  
Alfredo Sampaio: Não me arrependo de ter ido para o Bangu. Tenho muito carinho e gratidão pelo clube e gosto das pessoas que trabalham lá. Fui desta vez e vou quantas vezes eles quiserem. Fui em um momento ruim para a equipe, mas não tenho medo de me expor e colocar a cara para bater. Infelizmente, não conseguimos nossos objetivos, mas não me arrependo de nada.


Fonte: FutRio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário passará por analise da administração do blog. Obrigada.